Flunarizina

A flunarizina é medicação com ação terapêutica na  prevenção de enxaqueca, vertigens, é da classe dos antagonistas do canal de cálcio. A flunarizina é eficaz no tratamento da enxaqueca com vários estudos publicados comprovando a sua ação, no entanto, é uma medicação que com o uso por tempo muito prolongado pode causar aumento de peso e depressão, porém, na janela de tempo terapêutica para a prevenção da enxaqueca é uma medicação segura. Idosos podem apresentar com uso prolongado quadro semelhante ao Parkinson, com rigidez, lentificação e tremores, que devem ser reversíveis com a parada do medicamento.

Existem várias formulações da flunarininza no Brasil e em outros países, nos Estados Unidos não a flunarizina não é disponível. No Brasil: Sibelium, Fluvert, Flunarin,Vertix.

FLUNARIZINA- FARMACOLOGIA

O dicloridrato de flunarizina, derivado difluorado de piperazina previne o dano celular de maneira seletiva, devido a sobrecarga de Ca++ em diferentes tecidos. Esta sobrecarga ocorre, quando as membranas das células da musculatura lisa da parede vascular se despolarizam espontaneamente ou, quando substâncias endógenas vasoconstritoras são liberadas produzindo um aumento do influxo de Ca++ transmembrana e, consequentemente, vasoconstrição. Em ambas as circunstâncias, o acúmulo de cálcio intracelular é inibido pelo dicloridrato de flunarizina, que atua, por um lado, diretamente como um antivasoconstritor e, por outro, atua inibindo a reação a estímulos vasoconstritores evitando desta forma, vasoespasmos. Na presença de distúrbios circulatórios, com comprometimento da parede vascular, tais substâncias tornam- se nocivas provocando vasoespasmos sustentados, que por sua vez, comprometem ainda mais o fluxo sanguíneo local e, consequentemente, a perfusão tecidual. O dicloridrato de flunarizina através do bloqueio seletivo da entrada de Ca++ para o interior da célula, quando este é estimulado a entrar em excesso, inibe o vasoespasmo induzido pelo Ca++ e previne as consequências deletérias a nível celular desta sobrecarga. Desta forma, o dicloridrato de flunarizina influencia favoravelmente os sintomas relacionados aos distúrbios vasculares nos territórios cerebral e periférico, proporcionando um maior fluxo sanguíneo e uma melhor perfusão tecidual. Entretanto, este efeito somente ocorre em situações onde é estimulado um influxo excessivo de Ca++ transmembrana, tendo em condições normais pouca influência em sua homeostasia e nenhuma ação no tônus vascular normal. O dicloridrato de flunarizina revelou ainda, ser dotado de propriedade depressora vestibular e atividade antivertiginosa, cuja ação parece residir na redução do influxo de íons cálcio para o interior da célula neurossensorial vestibular.

FLUMARIZINA – Indicações:

  1. Profilaxia e tratamento de distúrbios circulatórios cerebrais. Profilaxia da enxaqueca. No tratamento de sintomas como: alterações de memória, confusão mental, distúrbios do sono, dificuldade de concentração. Aterosclerose cerebral, sequelas funcionais pós- traumas cranioencefálicas.
  2. Profilaxia e tratamento de distúrbios circulatórios a nível periférico- claudicação intermitente, deficiência circulatória de extremidades, doença de Raynaud, tromboangeíte obliterante, angiopatia diabética.
  3. Distúrbios do equilíbrio, tais como vertigens, tonturas, síndrome de Ménière, labirintopatias.

Interações medicamentosas:

Pode potencializar os efeitos do álcool e dos depressores do SNC, especialmente no início do tratamento.

Reações adversas:

Cansaço, sonolência, distúrbios gastrintestinais, ansiedade, boca seca, dor muscular, dor na barriga, erupção na pele, escoamento de leite pelas mamas, ganho de peso, insônia, náusea, queimação no estomago, fadiga, depressão, parkinsonismo.

Posologia:

Pode- se iniciar o uso apenas com um comprimido à noite ao deitar, aumentando de acordo com a severidade da doença para um comprimido pela manhã e outro à noite. Doses maiores a critério médico. Dose de manutenção após melhora dos sintomas, geralmente é de 1 comprimido ao dia.

OUTRAS CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES

Não ingerir bebiba alcoólica. Cuidado ao dirigir ou executar tarefas que exijam atenção

Deixe um comentário

Para Marcar Consulta

Para Marcar consulta com Dr Mario Peres, médico neurologista, CRM-SP 86494 ligue para (011) 3285-5726 para consultas no Centro de Cefaleia ou (011) 2151-0110 para consultas no Hospital Albert Einstein, sala 110.

Redes Sociais

Conheça também o portal Dor de Cabeça.net

Na mídia

Jornal da Tarde O Estado de São Paulo Folha de S.Paulo Radio Câmara Veja GAZETA Band TV BRASIL REDE GLOBO CBN RECORD Globo News Viva Saúde