Matéria do Estadão sobre Enxaqueca publica algo inédito

Parabéns ao Jornal O Estado de São Paulo pela matéria que publica na página de saúde de hoje.

http://saude.estadao.com.br/noticias/geral,cientistas-ligam-peso-extremo-a-enxaqueca,70001736926

O jornalista Fabio de Castro escreve sobre um estudo que relaciona a obesidade e baixo peso a enxaqueca, aumentando o seu risco. Mas o que mais me impressionou foi nesta parte da matéria replicada abaixo, onde pela primeira vez eu vejo um veículo de imprensa publicar o que sempre digo nas entrevistas: “As pessoas são massacradas pelas propagandas de analgésicos e acham que essa é a saída. Mas, muitas vezes, o abuso desses medicamentos pode agravar a condição”. PARABÉNS AO ESTADÃO e ao FABIO DE CASTRO!

 Incapacitante. A enxaqueca é um tipo de cefaleia que costuma provocar dores latejantes de um lado só da cabeça, eventualmente acompanhadas de náuseas, vômitos e intolerância a sons, luz e cheiros fortes.

De acordo com o neurologista Mário Peres, do Hospital Albert Einstein, a enxaqueca acomete 15% da população brasileira em geral, mas a ocorrência é de duas a três vezes mais comum entre as mulheres.

“Na região Sudeste, 30% das mulheres sofrem com as crises. A doença é uma das principais causas de falta ao trabalho. A dor é, na maior parte das vezes, incapacitante”, disse Peres.

A doença muitas vezes é tratada com analgésicos, mas, de acordo com o médico, o principal tratamento é mesmo a prevenção. “As pessoas são massacradas pelas propagandas de analgésicos e acham que essa é a saída. Mas, muitas vezes, o abuso desses medicamentos pode agravar a condição”, disse.

Mais sal, mais dor de cabeça

Dor de cabeça relacionada a maior ingesta de sal

Dor de cabeça relacionada a maior ingesta de sal.

Dr Mario Peres, médico neurologista, escreve sobre a recente pesquisa que mostrou relação do consumo de sal com mais dor de cabeça.

Estudo publicado no British Medical Journal (BMJ) mostra o efeito do consumo do sal e a ocorrencia de dores de cabeça. Liderado pelo Dr. Lawrence Appel, diretor do Welch Center for Prevention, Epidemiology and Clinical Research na Johns Hopkins, Baltimore, a pesquisa mostra que pessoas que ingerem 8 gramas de sal por dia tem 35% mais dor de cabeça do que quando ingerem 4 gramas.

Para acessar o estudo “Effects of dietary sodium and the DASH diet on the occurrence of headaches: results from randomised multicentre DASH-Sodium clinical trial” acesse o link http://bmjopen.bmj.com/content/4/12/e006671.full

 

Foram  390 pessoas divididas na dieta DASH, rica em frutas, vegetais, laticinios, e pouco gordurosa ou dieta livre, o ideia dos autores era de verificar o efeito da dieta na hipertensão arterial. A diferença das duas dietas não foi significante em relação a dores de cabeça, mas o conteúdo de sal foi o que mostrou impacto.

Resta saber se diminuirmos o sal da alimentação pode melhorar as dores de cabeça das pessoas que sofrem com enxaqueca, cefaleia tensional ou outras dores de cabeça. Como a maioria das pessoas come acima do recomendado do conteúdo de Sódio (1,5 g ao dia), esta orientação pode ser útil para a maioria das pessoas. Especialistas podem incluir a diminuição do sal nos tratamentos da enxaqueca.

Esta pesquisa tem limitações pois não sabemos o tipo exato das dores de cabeça, se cefaleias do tipo tensional, enxaquecas, dores diarias ou infrequentes se alteraram da mesma forma com a mudança da ingesta de sal.

 

 

 

Para Marcar Consulta

Para Marcar consulta com Dr Mario Peres, médico neurologista, CRM-SP 86494 ligue para (011) 3285-5726 para consultas no Centro de Cefaleia ou (011) 2151-0110 para consultas no Hospital Albert Einstein, sala 110.

Redes Sociais

Conheça também o portal Dor de Cabeça.net

Na mídia

Jornal da Tarde O Estado de São Paulo Folha de S.Paulo Radio Câmara Veja GAZETA Band TV BRASIL REDE GLOBO CBN RECORD Globo News Viva Saúde