Laser terapia para dor

Está sendo muito estudado o efeito biológico do LASER para analgesia. Há um potencial muito grande para uso em tratamento de dores e pode ser uma opção muito interessante para dores de cabeça, enxaqueca, cefaleias.

O LASER utilizado é o de baixa potência, comprimento de onda até 830 nm, diferente dos LASERs usados em oftalmologia e dermatologia.

A vantagem do tratamento com LASER é a fácil administração, ausência de efeitos colaterais (pode ser usado em idosos, crianças, gestantes, pessoas com intolerância a medicamentos).

Este texto foi escrito pelo Dr Mario Peres, para mais informações sobre enxaqueca clique em ENXAQUECA

6 Replies to “Laser terapia para dor”

  1. Dr Mario Peres,

    Boa noite
    Moro em São Paulo capital, há dois anos tenho crises de enxaquecas durante o período menstrual, com duração de 3 a 4 dias.Gostaria de saber se existe algum tratamento eficaz para essa dor.
    Obrigada pela sua atenção.

  2. Boa noite, sou laserterapeuta, trabalho na área á um ano e meio. os tratamentos com laser de baixa potencia são realmente maravilhosos, quem puder obter informações sobre laserterapia, tenho certeza de que serão resolvidos varios problemas de saúde.

  3. Bom dia.
    Moro em São Sebastião litoral norte, a um ano e meio comprei um aparelho de leaser terapia com o Dro Roberto Trajano, mas na verdade fiquei sem nenhuma informação, gostaria se possivel de uma orientação.
    Poe exemplo no caso de bolsite como aplicar e quanto tempo quantas vezes por semana etc….
    Muito obrigada pela atenção.

    Lucimar Silveira Passos

  4. Dr Mario Peres,

    Bom dia.
    Moro em Santos/SP, tenho uma sobrinha gestante que está há mais de uma semana com uma dor de cabeça insuportável. Como esta gestante, os médicos que a atenderam sugeriram tentar aplacar esta crise de enxaqueca com medicamentos que não afetem o bebe, e, se possível, não fazer exames de imagem para evitar eventuais prejuízos à criança. Ela está no sexto mes de gestação. Mas, infelizmente a dor de cabeça não passa e não sabemos mais o que fazer, o Sr. teria alguma sugestão de tratamento neste caso? Agradeço muito qualquer orientação que possa nos dar. Muito Obrigada pela atenção.

    Fátima C Santos – [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.